07 abril 2017

Os EUA atacam a Síria: razões e reacções

Dia cheio este: os EUA atacam a Síria, os "radicais islâmicos" (aspas necessárias) atacam a Suécia.

O ataque

Partimos com Washington: nem Trump resistiu ao encanto duma boa prova de força, à velha maneira americana.

Às 20:30 hora dos EUA, 59 mísseis Tomahawk foram lançados contra a base síria donde alegadamente partiu o ataque químico de poucos dias atrás. "Alegadamente" pela simples razão que ainda estamos à espera que alguém apresente as provas de que foram as forças de Assad a lançar o ataque.

Mas estes são pormenores: nem tinha caído a última bomba com a sua carga de gás (se bomba foi) e já os meios de comunicação acusavam a Síria. Todos, sem excepções. Portanto: Assad tinha sido o responsável, duvidar não é uma opção. O bombardeio de hoje é a natural conclusão da campanha mediática montada.

Os mísseis atingiram a base de Al Shayrat, provocando mortos: três militares e dois civis segundo as autoridades sírias. A agência Sana fala de seis militares e nove civis mortos, entre os quais quatro crianças. O que é um pouco estranho: é uma base militar ou um infantário? Verdade que os mísseis bem podem ter atingidos habitações nos arredores, mesmo assim há sempre demasiadas crianças nos ataques na Síria. A propaganda funciona em todos os lados.

Na outra face do planeta, Trump estava a jantar com o Presidente chinês, Xi Jinping, perto das praias da Florida: pouco depois apareceu diante das câmaras para uma breve declaração:
Caros concidadãos, na Terça-feira o ditador sírio, Bashar al-Assad, lançou um ataque químico horrível contra civis inocentes; usando gás letal, Assad esmagou sem esperança as vidas de homens, mulheres, crianças. Foi uma morte lenta e brutal para muitos deles. Mesmo as maravilhosas crianças foram cruelmente assassinadas neste bárbaro ataque. Nenhum filho de Deus deve sofrer um tal horror.
Verdade: os filhos de Deus não gostam de morrer por causa do gás letal. Já com os mísseis Tomahawk, pelo contrário, fazem a fila.
Assim continuou a besta (ao quadrado):
Ontem à noite pedi uma ação militar focada no aeroporto na Síria donde começou o ataque químico. É de interesse vital para a segurança nacional dos EUA impedir e desencorajar a proliferação de armas químicas letais. Não há dúvida de que a Síria tem estas armas terríveis, violando os seus compromissos no âmbito da Convenção sobre Armas Químicas e ignorando o Conselho de Segurança da ONU. Há anos que tentam convencer Assad a mudar de atitude. É foi um fracasso e uma falha muito dramática. O resultado é que a crise dos refugiados continua a agravar-se e continua a desestabilizar a região e ameaça os Estados Unidos e os seus aliados. Hoje à noite chamo apelo a todas as nações civilizadas para pôr fim aos massacres e ao derramamento de sangue na Síria e pôr fim ao terrorismo de todos os tipos.
Não há muito para dizer. Melhor, haveria, mas seriam as objecções do costume: não há provas de que foi Assad a lançar o ataque químico; há dúvidas de que a Síria tenha armas terríveis (e não há dúvida de que os EUA as têm); a crise dos refugiados existe mas é também co-criada, bem explorada e encorajada por facções ocidentais (entre as quais os serviços secretos dos EUA); quem desestabiliza o Médio Oriente não é e nunca foi a Síria, etc.

Em frente.
A base síria de Al Shayrat

Vingança

Muito interessante a reacção de Alemanha e França. Estes apresentaram um comunicado em conjunto no qual afirmam que é de Assad a inteira responsabilidade do ataque de hoje. Deveras interessante porque o conceito expresso é o seguinte: tu fazes algo mau, então eu tenho o direito de fazer-te algo mau também e a culpa é só tua, não minha.

Fosse o ataque de hoje uma acção justificada com algo como "Bombardeamos uma base militar porque sabemos que aí estava a preparar-se um ataque mortal", então isso poderia ser enquadrado como uma manobra preventiva. E teria uma mínimo de fundamento ("mínimo" apenas porque antes deveria sempre serem exploradas ao máximo as outras alternativas, in primis aquela diplomática).

Nem é possível falar duma acção que pese no equilíbrio do conflito: este guerra não vai ser ganha com os gases. Portanto não estamos perante uma táctica militar que tem como objectivo a vitória final.

Aqui de prevenção ou de táctica não há vestígios: há apenas uma retaliação. Isso significa que os Estados Unidos perpetram a "vingança" com os aplausos do Ocidente todo. Assinalável. Imaginem este conceito translado para a nossa sociedade; imaginem os tribunais que a partir de agora justifiquem a vingança como acto legítimo.

O gás

E voltemos ao facto do regime de Assad ter lançado o ataque químico. Esta não passa duma hipótese,
possível quantos as outras.

Provas? Não há. Nenhuma. E seriam bem precisas para saber quem o responsável daquele horrendo massacre.

Actualmente, de certo há só as 72 vítimas confirmadas mais cerca de 300 outras pessoas infectadas.

Para entender qual a verdade seria necessária uma investigação independente no terreno: médica e técnico-militar. Em primeiro lugar, para determinar qual foi o gás (Sarin, quase certamente) e daí de volta para a fonte, dados que os componentes utilizados nestas armas constituem já por si uma espécie de impressão digital.

Em segundo lugar, seria preciso determinar se o gás chegou em Khan Sheikun com uma bomba lançada de um avião ou com uma ogiva disparada por artilharia; ou ainda se a explosão ocorreu directamente no terreno (a tese de Damasco e de Moscovo).

Que seja gás, não há dúvida. Como não há dúvida acerca do o horror do massacre. Mas o facto é que, apesar da "limpeza" realizada pela ONU em 2013, na Síria (como no Iraque) ainda há armas de todos os tipos, incluindo as fabricadas com produtos químicos. E ninguém pode excluir que estas, mesmo em pequenas quantidades, tenham acabado nas mãos dos rebeldes.

Última consideração: uma arma com produtos químicos contém sempre uma quantidade de gás de modo a produzir efeitos muito mais devastadores daqueles registados. Exemplos clássicos:
  • Síria, 21 de Agosto de 2013, em Ghouta: entre 300 e 1.500 vítimas, cerca de 3.000 pessoas intoxicadas.
  • Halabja, 16 de Março de 1988: pelo menos 5.000 mortos e milhares de feridos.
No primeiro caso, o gás utilizado foi o Sarin, no segundo gás mostarda. O que significa que todas as hipótese estão em abeto. Isso é para dizer que o número relativamente pequeno de vítimas em Khan Sheikun ainda deixa em aberto todas as possibilidades.

Para já: Al Qaeda, o Isis e a Arábia Saudita agradecem quem lançou o ataque com gás e quem começou a bombardear como forma de vingança.


Ipse dixit.

Fontes: vários diários ocidentais de hoje disponíveis na interent.

12 comentários:

  1. Maquiavel7.4.17

    "Mas estes são pormenores: nem tinha caído a última bomba com a sua carga de gás (se bomba foi) e já os meios de comunicação acusavam a Síria. Todos, sem excepções. Portanto: Assad tinha sido o responsável, duvidar não é uma opção. O bombardeio de hoje é a natural conclusão da campanha mediática montada"

    https://www.youtube.com/watch?v=YgPbFjUL3dk

    ______________________________________________

    .....o que ganharia Assad com este ataque? Nada, a não ser que ele queira tornar a situação numa situação ainda mais complicada do que já está.

    A maior prova de que não foi Assad foi a campanha mediática montada....

    ResponderEliminar
  2. O jornal inglês "Daily Mail" já tinha feito referência a este ataque em 2013:

    https://web.archive.org/web/20130129213824/http://www.dailymail.co.uk/news/article-2270219/U-S-planned-launch-chemical-weapon-attack-Syria-blame-Assad.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maquiavel13.4.17

      Esse artigo é "fake news", já foi eliminado em 2013:

      https://www.theguardian.com/media/2013/jun/26/daily-mail-syrian-chemical-weapons-libel

      Os email são falsos:

      https://www.youtube.com/watch?v=6R7knc-G360

      https://www.sott.net/article/265666-Syria-Chemical-Weapons-and-the-Britam-Defence-emails

      Eliminar
  3. Quem é mais culpado, os dementes sádicos encastelados ou os legitimadores deles?

    Não existe governo se não existe quem os sustente, pois trabalhar não é do feitio do estado!

    Quem é mais nocivo, a mídia e suas imundícies ou os imundos que assistem as imundícies?

    Exatamente como a materia diz: " tu fazes algo mau, então eu tenho o direito de fazer-te algo mau também e a culpa é só tua, não minha."

    ResponderEliminar
  4. separatista-50-508.4.17

    «Tudo como dantes. Quartel em Abrantes» não é bem assim!!!
    .
    O grande legado de Donald Trump foi as REACÇÕES aos seus discursos:
    -1- o pessoal com uma elevada taxa de natalidade (um exemplo: islâmicos) é altamente amigo... pois, desde que... não seja posta em causa a sua condição de «DONOS DISTO TUDO».
    -2- os «donos disto tudo» têm um completo desprezo pelos povos nativos (na América do Norte, na América do Sul, na Austrália) que procuraram sobreviver pacatamente; e que, como eram economicamente pouco rentáveis, levaram com um holocausto massivo em cima... porque tiveram o «desplante» de querer ter o SEU espaço no planeta e de querer prosperar ao seu ritmo.
    .
    .
    .
    Anexo:
    DEMOGRAFIA E SEPARATISMO-50-50: Todos Diferentes, Todos Iguais... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
    -» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
    ---» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
    .
    .
    .
    P.S.
    É necessário um activismo global
    .
    Democracia sim; todavia, a minoria de autóctones que se interessa pela sobrevivência da sua Identidade... tem de dizer NÃO ao nazismo-democrático, leia-se: é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros; isto é, é preciso dizer não àqueles que evocam pretextos para negar o Direito à Sobrevivência de outros.
    [nota: nazismo não é o ser 'alto e louro', bla bla bla,... mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!]
    .
    -» Imagine-se manifestações (pró-Direito à Sobrevivência) na Europa, na América do Norte (Índios nativos), na América do Sul (Índios da Amazónia), na Ásia (Tibetanos), na Austrália (Aborígenes), ETC... manifestações essas envolvendo, lado a lado, participantes dos diversos continentes do planeta... tais manifestações teriam um impacto global muito forte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não é bem assim!!!
      Si vis pacem, para bellum
      Em português fica: se queres paz, prepara-te para a guerra.

      Povo que é hedonista, povo que bebe álcool, povo que sexua desseletivamente, povo que pantagrueliza, povo que faz essas coisas só merece uma coisa, ser extinto, pois quem se relaxa com a evolução não merece viver!
      O que é bom ou o que é mau?
      Nos achamos injustiçados, mas se eu pegar os outros seres vivos, eles dirão que somos bons?
      É bom quem ingere defunto só para saciar seus gostos mórbidos, sem nem realmente ter fisiologia cadavorista?
      É bom quem destrói o meio ambiente? Para um ser sintético, sim!
      O bom é apenas aquilo que nos convem, e o mal é o inconveniente para nós, só isso.
      Partir de premissas de bondade ou maldade é tão nocivo que quem a faz acredita que é bom, sem perceber o mal que faz!

      Eliminar
  5. Seja lá por onde eu tente analisar, não há lógica. Hoje, com a guerra defendendo-se contra o Ocidente e os Isis da vida já vencida na Síria, o Estado sírio não tem a mais mínima razão de perpetrar ataque contra o próprio povo.
    Por outro lado o bombardeio autorizado por Trump, porque? O que causaria tal mudança de estratégia do império norte americano?
    Absolutamente nada faz sentido. Procurei em II alguma hipótese, mas parece que a perplexidade ainda não permitiu elencar hipóteses.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma das respostas é que a Síria não tem seus bancos atrelados a sistema financeirointernacional, ela não dá papo para FMI e outras ajiotagens salafras. E os EUA são os polícias do poder financeiro, são os cobradores de impostos do sistema financeiro internacional

      Eliminar
    2. Anónimo8.4.17

      Em parte é isso.
      Na Líbia a ideia de Gaddafi não era criar um banco africano sem ligações ao fmi, Bis, e outros?
      A coisa a princípio foi aceite pois essas instituições pensaram que ficariam "como é hábito" com parte importante do bolo.
      Quando souberam que não faziam parte do plano (Pois segundo eles têm de fazer, são os Srs. Do Mundo ora essa).
      Uma força francesa/inglesa/americana e comparsas eleitos pelo povo para defender o interesse de o pov...cof, cof (engasguei) de corporações e banqueiros tomaram conta do assunto.
      Isto chama-se democracia. Em que os mesmos exploram o restante, baseado em retórica furada pelos mídia para embrutecer os restantes.
      Aqui foi Trump a fazer um favor aos mídia e deep state. Só 23 dos 59 misseis estavam "equipados". Assim durante algum tempo os hawks (águias) sedentos de guerra, mostram o seu poderio e ontem uma catarse um orgasmo bélico.
      A coisa reperte-se ciclicamente e se não tem inimigos inventa-se. Só assim se justifica o que este ano vai ser gasto (na casa do trilão de dólares).
      Agora e finalmente aparecem e ainda bem Rússia e China que nada têm de democracia na perspetiva ocidental(no entanto não começam guerras! Irônico) mas por incrível que pareça são a única solução para um mundo multipolar, o antigo sonho dos bRICS. O b ainda pode ir a tempo em 2018. E depois seguir o que planejavam uma alternativa ao fmi, world bank e uma alternativa ao swift (sim exetamente). O Bank of internacional Setllements bis ou engole ou terá concorrência.
      Seguem-se os proximos capitulos desta novela rocambolesca...se a Russia e China chegarem a um acordo com os que nada produzem sem ser armamento afinal Trump até pode ser o menor dos males.

      Nuno

      Eliminar
    3. Como eu disse, é uma das razões.
      Mas lembro que a Líbia já estava há algum tempo disponibilizando financiamento para países africanos.
      A Líbia tinha salário estudante, tinha salário mulher (justíssimo, visto que mulheres SÃO OS BALUARTES DA ESPÉCIE e merecem ter salário só para se aperfeiçoarem e ficarem mais capazes na educação da prole) exatamente para eliminar a prostituição que os salafrários europeus haviam disseminado por lá.
      Li o Livro Verde de Muamar kadaf e posso dizer que é um show de raciocínio lógico!
      Com relação às armas, a coisa é mais copmplicada.Armas são a essência da obsolescência programada, elas tem curto período de vigência!
      Para entender, os aviões stealter dos EUA erm sua imensa maioria são em compósitos, a B1 um dos mais caros aviões deles era predominantemente de compósitos (ler basicamente fibra de carbono), e toda fibra delamina depois de velha.
      Essa foi a razão de diversas quedas de aeronaves lá, e a razão é banal, armazenados em angares iam de delaminando e absorvendo umidade, essa umidade entranhada na fibra no inverno congelava e expandia aumentando o estrago, se não usasse seria descartado, o melhor é fazê-los trabalhar e aviões de guerra só trabalham em guerra!
      Esse problema é também de qualquer embarcação de fibra que não pode ir para altas latitudes sob risco de nem voltar!

      A rússia e a china não fazem guerra?
      Essa eu não conheço, só que as guerras feitas por eles só são notícia quando gera algum "lucro" para o ocidente, se não é ignorada, até porque é fundamental só demonizar os EUA, da mesma forma que foi feito na Alemanha no pré guerra na decada de 30.

      Eclaro que a estratégia é só botar salafro na governança dos EUA para aumentar a letalidade e demonização dos EUA, mas a massa popular lá é a mesma de qualquer lugar, todos massa de manobra úteis graças a imbecilidade perene que está em todo lugar!
      O esquema da russia e china é a destruição dos EUA, queima de arquivo enquanto os causadores mais uma vez diasporizam para a américa latrina, e é essa a razão da sabotagem visceral que se faz desde o sec 16 nas plagas americanas do sul e central.
      Na segunda guerra, os causadores escolhidos judeus(os donos das mídias) diasporirizaram para a oceania e america.
      Só para entender a questão diaspórica, quem fundou NY foram os judeus pernanbucanos em sua maioria diasporizados da fossa brasilis por torquemadisses! Tudo cientificamente orquestrado!
      A regra é disseminar o vírus desde exôdos bíblicos!

      Com relação aos "bRICS", o correto seria brics, pois não tem nem santo e nem gente boa nessa bagaceira!!!

      Eliminar
  6. Anónimo8.4.17

    Perfiro mundo multipolar que um cachorro hipócrita a falar de direitos, democracia etc...
    O cachorro pode ficar, dá jeito quanto mais multipolar melhor.
    Ou temos a alternativa uma tal de Phoenix e as maravilhas auguradas no Economist em 1989. Nada como ser escravo do 1% ou qualquer 1%.
    Não obrigado, já basta.
    Isto não passa de uma luta de classes.
    Marx? não Warren Buffet e a nossa classe está a ganhar.
    Honesto o cara continua rico como antes mas desapareceu dos mídia.
    Nuno



    ResponderEliminar
  7. Quantum Binary Signals

    Professional trading signals delivered to your cell phone daily.

    Start following our trades NOW and gain up to 270% daily.

    ResponderEliminar

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...